São Paulo, quarta-feira, 20 de setembro de 2017 - 06:18.

Livro Acessível Universal - Página inicial [1].

Denúncia - Acordo secreto ABRELIVROS Fundação Dorina.

Comunicamos uma vergonha nacional, como mais uma de tantas vergonhas nacionais com as quais temos que conviver.

Acordos que são feitos a revelia das pessoas com deficiência visual, contratos celebrados a portas fechadas, com pretensos especialistas considerando que sabem qual é o desejo e a necessidade de todas, absolutamente todas as pessoas com deficiência visual do Brasil.

Consideramos isso um acinte que transforma as pessoas com deficiência visual brasileiras e que não precisam, não procuraram, não pediram a intermediação da Fundação para nada, e que somos a maioria, em completos, totais e cabais imbecis! Mais que isso, em fantoches manipulados e marionetes presas nos cordões dessa tutela e desse monopólio ridículos. Seria urgente que fizéssemos alguma coisa, como por exemplo, enviarmos cartas para o grande pivô desse acordo, o sensível Sr. Rafael Torino! Acordo que está igualando todas as pessoas com deficiência visual como sendo inapelavelmente usuários massificados e pasteurizados do braile?!

É uma vergonha, mas como cego não enxerga mesmo, e uma boa parte de nós, além de não enxergarmos, também fazemos de conta que não vemos, a coisa fica ainda mais fácil para os aproveitadores de plantão!

Imaginem, façam uma conta, por favor, todos os colegas não alienados por onde passará essa mensagem, por acaso quantas impressoras braile de última geração não poderiam ser adquiridas com um milhão e cem mil Reais! Quantos CAPS por esse Brasil inteiro não estão a míngua, sem equipamentos, sem pessoal, sem estrutura nenhuma para apoiar as crianças e adolescentes cegos por esse Brasil?

Mas fazer de conta que não vê é muito mais fácil do que denunciar determinados absurdos. Obrigado Marta, por jogar tudo isso no ventilador, apesar que ninguém vai falar ou comentar nada mesmo. Deixa como está para ver como é que fica. Quem vai ter a coragem de criticar a ação de pessoas tão benevolentes, tão caridosas, tão preocupadas assim?? Quem teria a coragem de praticar tal heresia?! Só se for meio maluco ou descrente. Mas para isso existem os hospitais psiquiátricos, os manicômios e as inquisições.

Cordialmente,

Naziberto Lopes
Coordenador do MOLLA

From: Marta Almeida Gil
To: cvibrasil@yahoogrupos.com.br
Sent: Wednesday, June 06, 2007 7:09 PM
Subject: [cvibrasil] Fwd: Governo e editoras financiando o monopólio.

Repasso.

abraços,
Marta Gil

057/06

São Paulo, 19 de dezembro de 2006

Prezado associado,

Como é de seu conhecimento, a partir do PNLEM e do PNLD 2007, o FNDE determinou que a adaptação, transcrição e impressão em braile, das obras didáticas avaliadas e negociadas, seria realizada por conta do titular do detentor de direito autoral.

A partir de 2005, inúmeras foram as reuniões realizadas pela diretoria da Abrelivros com dirigentes do FNDE, MEC, Secretaria de Educação Especial, Instituto Benjamin Constant e até com o próprio ministro da Educação, visando argumentar que tal deliberação governamental seria impossível de ser cumprida, dada a inexistência de pessoal qualificado para executar tal empreitada no tempo proposto.

Em todos os momentos, contamos com o total apoio e parceria da Fundação Dorina Nowill, que chegou a apresentar um estudo ao governo mostrando que no mundo inteiro os livros em braile não são feitos por editoras comerciais, de modo que não adiantaria transferir para as editoras um problema que deveria ser resolvido entre governo e entidades especializadas na produção de livros em braile, tais como Fundação Dorina, Instituto Benjamim Constant (IBC), entre outras.

Finalmente, em reunião na Abrelivros no dia 8 de junho de 2006, Rafael Torino mostrou-se sensível à argumentação dos editores. Apresentou como solução, dada a incapacidade das editoras em atender a demanda do FNDE no momento, a possibilidade de se rever o Edital e de se realizar a produção dos livros através do IBC e da retomada do convênio com a Fundação Dorina Nowill. Em contrapartida, Rafael Torino solicitou às editoras que pensassem num arranjo futuro visando enriquecer o processo, tal como a constituição de um fundo para apoiar os investimentos de aprimoramento da capacidade de atendimento aos deficientes visuais.

Diante do exposto, a diretoria da Abrelivros firmou um convênio com a Fundação Dorina Nowill, visando à capacitação e à formação de profissionais na área editorial braile da Fundação, o que tornará factível a solução para atender a demanda existente hoje no Brasil de se transcrever quinhentos títulos por ano. Por este convênio, a Abrelivros desembolsará R$ 1.059.200,00 (um milhão, cinqüenta e nove mil e duzentos reais) a serem pagos em cinco anos à Fundação Dorina Nowill.

Tendo em vista que o governo pretende converter para braile não somente os livros didáticos, mas também os de literatura e outros integrantes do PNBE, a diretoria da Abrelivros decidiu que o valor a ser repassado à Fundação será rateado entre todas as editoras associadas. Estamos utilizando os mesmos critérios do cálculo da mensalidade, ou seja, 50% do valor total rateado igualmente e os 50% restantes divididos por editora, de acordo com as vendas ao governo no último ano.

A seguir estão os valores de cada editora. Lembramos que esses valores serão cobrados nos dias 20 de janeiro, 20 de março, 20 de maio e 20 de julho de 2007 a 2011. Excepcionalmente, a primeira parcela vencerá em 12/02/07.

Maiores esclarecimentos poderão ser obtidos com Beatriz Grellet, nossa gerente executiva.

Atenciosamente,

João Arinos Ribeiro dos Santos

Presidente

EDITORAS
PNLD 2007
PNLEM 2007
PNBE 2006
TOTAL
Parcela fixa
Parcela variável
Parcela 1/4

FTD/Quinteto
28.701.592
428.247
160.735
29.290.574
913
6.734,02
7.647,02

Ática
11.326.513
1.641.170
353.617
13.321.300
913
3.062,62
3.975,62

Saraiva
8.618.766
2.486.388
289.323
11.394.477
913
2.619,64
3.532,64

Moderna
24.214.254
2.742.708
450.058
27.407.020
913
6.300,98
7.213,98

Scipione
5.533.764
207.720
160.735
5.902.219
913
1.356,94
2.269,94

IBEP / Nacional
3.977.494
213.902
64.294
4.255.690
913
978,40
1.891,40

Positivo
7.975.408
24.459
-
7.999.867
913
1.839,20
2.752,20

Brasil
4.533.355
89.868
128.588
4.751.811
913
1.092,46
2.005,46

Nova Geração
799.982
1.264.003
32.147
2.096.132
913
481,91
1.394,91

Nova Fronteira
-
-
96.441
96.441
913
22,17
935,17

Dimensão
593.854
-
64.294
658.148
913
151,31
1.064,31

Base
1.460.299
78.974
-
1.539.273
913
353,89
1.266,89

Global
-
-
192.882
192.882
913
44,34
957,34

Ediouro
-
-
417.911
417.911
913
96,08
1.009,08

Record
-
-
192.882
192.882
913
44,34
957,34

SM
-
-
32.147
32.147
913
7,39
920,39

Escala Educacional
4.645.823
-
-
4.645.823
913
1.068,09

 

Lista dos principais boletins do MOLLA:

 

Continue navegando:

 

Voltar ao topo da página.

Copyright © 2008 Livro Acessível.
Todos os direitos reservados.