São Paulo, terça-feira, 21 de outubro de 2014 - 03:19.

Livro Acessível Universal - Página inicial [1].

Editora 7Letras: solução inteligente.

Recentemente fiz contato com a Editora 7Letras, www.7letras.com.br Site externo., afinal, ela havia divulgado na Internet o lançamento de um livro publicado por ela e intitulado "Educação Inclusiva". Confesso que nesses momentos não perco a oportunidade de testar a coerência de uma empresa que se utiliza de um termo tão significativo para nós dos movimentos pró inclusão e pró acessibilidade.

Nesse sentido fiz questão de contatar a editora e solicitar a compra do livro referido acima. Primeiro para verificar se o discurso combinava com a prática, segundo porque a leitura realmente me interessava.

Para minha agradável surpresa, o discurso realmente casou com a prática comercial da empresa e em uma troca de mensagens extremamente agradável e direta fechamos negócio muito rapidamente.

O editor, Sr. Jorge Viveiros, inicialmente me posicionou a respeito de sua dificuldade de equacionar o problema, afinal, aquele tipo de transação não era uma rotina existente em seus programas de faturamento. Para resolver isso, fiz como de costume quando me deparo com este tipo de problema, sugerindo que fosse faturado o livro convencional, impresso a tinta. Dessa maneira, quando me enviassem o livro impresso pelo correio, junto me enviariam também o CD-ROM com o livro digital gravado.

A idéia foi prontamente aceita pelo editor que contrariamente a minha sugestão de enviar o livro digital junto com o livro impresso, como poderão ver no histórico abaixo, me enviou de imediato, via e-mail, o livro digital em uma demonstração de confiança muito lisonjeira para mim.

Assim sendo, parabéns Editora Sete letras pelo procedimento simples, comum, inclusivo, cidadão.

Fiquem com o histórico abaixo:

Resposta da editora para minha primeira solicitação:

From: Editora 7letras
To: 'NAZIBERTO LOPES'
Sent: Wednesday, October 10, 2007 6:22 PM
Subject: RES: lançamento livro Educação Inclusiva: cultura e cotidiano escolar

Caro Naziberto,

Estamos tentando providenciar uma versão do livro em formato digital para atendê-lo; espero entrar em contato em breve com uma solução.


Atenciosamente,

Jorge Viveiros de Castro

Minha primeira resposta:

De: "NAZIBERTO LOPES" <serra.do.luar@uol.com.br>
PARA: "Editora 7letras" <editora@7letras.com.br>
Cc: "ESTATUTO -- Grupo do estatuto da pessoa com deficiencia" <estatutodapessoacomdeficiencia@yahoogrupos.com.br>; "CVI - GRUPO CVI BRASIL" <cvibrasil@yahoogrupos.com.br>; "FORUM INCLUSAO" <foruminclusao@yahoogrupos.com.br>
Assunto: Re: lançamento livro Educação Inclusiva: cultura e cotidiano escolar
Data: quinta-feira, 11 de outubro de 2007 00:20

Prezado Jorge, obrigado pela atenção dispensada a minha reivindicação.

Acontece que espero que não esteja pensando somente em meu caso especial, e sim nas pessoas com deficiência em geral que como eu estão excluídas da possibilidade da leitura de um livro que fala justamente da exclusão de pessoas com deficiência do ensino regular. Mas não acredito que seja assim tão difícil, veja bem, a Lei de Direitos Autorais é clara, ou seja, não é crime contra os Direitos Autorais a reprodução em qualquer suporte, isso inclui o digital é claro, desde que seja feito sem fins comerciais para pessoas com deficiência visual.

Sendo assim, a editora precisaria me doar a versão digital. Tudo bem, sem problema, basta que vocês me vendam a versão impressa, para efeito de faturamento e que se estabeleça uma relação comercial, a fim de atender os meus objetivos, pois pretendo e tenho condições de pagar pela obra e recompensar autor e editora. Ao mesmo tempo, vocês me fornecem gratuitamente, juntamente com a versão impressa, a cópia em formato pdf do livro. Isso resolve tudo e fica bom para ambas as partes.

Da mesma forma vocês podem fazer isso com qualquer outra pessoa com deficiência que precisar e quiser comprar. No meu caso, me servirá bem a versão pdf, talvez alguma outra pessoa com deficiência queira a versão texto, visto que ela pode não ter um leitor de telas mais avançado como o que tenho. Existirá também aquela pessoa com deficiência que não poderá comprar o livro, para isso, o fornecimento gratuito, a doação já está garantida na Lei e vocês podem fazer isso diretamente, sem a intermediação de terceiros.

Por isso não vejo maiores dificuldades nesse fornecimento seja ele de que maneira for.

Se quiserem entrar em contato, deixo meus telefones, se precisarem de alguma informação complementar. Já faço esse tipo de transação com muitas outras editoras e não tivemos problemas até o momento.

Sei muito bem das disposições que existem na Lei de Direitos Autorais, concordo com elas, ou seja, que a produção intelectual, artística, cultural, etc., precisa ser protegida contra a pirataria, se eu fosse um autor, também gostaria de ter meus direitos preservados. Acontece que o direito de uns não pode solapar o direito de outros.

Quem cometer crime deve ser punido, seja quem for, uma pessoa que copia um arquivo digital, uma pessoa que copia xerograficamente um livro em papel. Não poupemos ninguém no caso de serem criminosos, porém, também não acusemos ninguém antecipadamente como se fossem bodes expiatórios.

Isso é o que fazem a maioria das editoras quando se recusam a vender ou doar diretamente os arquivos digitais de um livro para uma pessoa com deficiência. Além, de ser, por mais paradoxal que pareça, uma tremenda cegueira mercadológica, pois a abertura de novos produtos para um público tão amplo e sedento por esse produto, certamente daria uma alavancada enorme nas tiragens de livros no Brasil, que são tão baixas. Espero que esse não seja o comportamento de uma editora que publica justamente um livro com o título: educação inclusiva.

Abraços e aguardo sua resposta.

Cordialmente,

Naziberto Lopes

PS.: estou copiando essa resposta para as listas e grupos de pessoas com deficiência que frequento, para que todos possam perceber que já existe ao menos um início de diálogo, uma possibilidade de sermos lembrados e inseridos também como pensadores a respeito do problema e não apenas como o próprio problema.

Segunda Resposta da editora, já me enviando o livro digital:

De: "Editora 7letras" <editora@7letras.com.br>
PARA: "'NAZIBERTO LOPES'" <serra.do.luar@uol.com.br>
Assunto: RES: lançamento livro Educação Inclusiva: cultura e cotidiano escolar
Data: quinta-feira, 11 de outubro de 2007 19:51
Caro Naziberto,

A idéia me parece ótima, assim fica mais fácil e prático tocarmos os acertos comerciais.

Segue o pdf, por favor verifique se está ok.

O pedido do livro "físico" pode ser feito no e-mail vendas@7letras.com.br.

Também fico à disposição por aqui para atendê-lo, caso haja qualquer problema com o arquivo ou com o pessoal das vendas.

Um abraço,

Jorge

Terceira resposta da editora finalizando o negócio:

De: "Vendas 7Letras" <vendas@7letras.com.br>
PARA: <serra.do.luar@uol.com.br>
Assunto: Pedido no Site
Data: terça-feira, 16 de outubro de 2007 13:27
Prezado Naziberto,

Nosso site vem passando por uma reformulação, brevemente estaremos com um site mais bem estruturado e buscando servir melhor aos nossos clientes.

O livro"Educação Inclusiva..." custa R$ 35,00. cobramos um frete de R$ 3,00 e a previsão de entrega é de 03 a 04 dias úteis. O livro será enviado mediante a confirmação do depósito bancário por e-mail ou fax,ou no momento do recebimento do cheque.

Total R$ 38,00

Viveiros de Castro Editora Ltda.
02066492/0001-43
(21)2540-0076

Unibanco
Ag. 0242
CC 747638-3

Banco do Brasil
Ag. 1572-5
CC 11374-3.

Minha segunda resposta concordando com o negócio e fazendo o depósito:

De: "NAZIBERTO LOPES" <serra.do.luar@uol.com.br>
PARA: "Vendas 7Letras" <vendas@7letras.com.br>
Assunto: Re: Pedido no Site
Data: quarta-feira, 17 de outubro de 2007 15:23

Prezados André e Jorge,

Acabei de efetuar o depósito para a compra do livro Educação inclusiva, cultura e cotidiano escolar.

O número do doc é: 809512

Aguardo a confirmação de vocês e o respectivo envio do livro ok?

Atenciosamente,

Naziberto Lopes

Minha terceira resposta parabenizando a editora:

De: "NAZIBERTO LOPES" <serra.do.luar@uol.com.br>
PARA: "7Letras" <editora@7letras.com.br>
Cc: "Daniel" <daniel@editoracontexto.com.br>
Assunto: Paradoxo: Editora 7 letras - Editora Contexto - Fundação Dorina no meio
Data: domingo, 14 de outubro de 2007 12:58

Prezados Sr. Jorge e Profa. Rosana, respectivos editor e autora da Editora 7 Letras,

É com enorme satisfação e sentimento de dignidade preservada e renovação de esperanças que me dirijo a vocês para parabenizá-los pela atitude tranqüila, respeitosa, cidadã e acima de tudo comum, tomada em relação ao meu pedido de compra do livro: "Educação Inclusiva - cultura e cotidiano escolar", em um formato digital (pdf), respeitando minha condição específica de leitor com deficiência visual.. Quero agradecer também pela confiança de terem me enviado o arquivo digital antes mesmo de que eu tenha realizado a compra do livro convencional, que garanto-lhes será feita já nessa Segunda-feira, dia 15/10.

É uma grande satisfação perceber a existência de empresas e pessoas atualizadas e conscientes do Mundo em que vivemos hoje. Um mundo em grande parte preocupado e voltado para as questões de inclusão e direitos das minorias historicamente excluídas, segregadas, marginalizadas e esquecidas por diversos setores das sociedades em geral.

No ano passado, na Organização das Nações Unidas, ONU, foi aprovada a Convenção dos Direitos das Pessoas com Deficiência, documento este que vai balizar as relações sociais em todos os países que a adotarem, e sabemos que o Brasil foi um dos primeiros a fazê-lo, reconhecendo o direito das pessoas com deficiência a se incluírem e participarem em todos os setores sociais, educação, saúde, cultura, esportes, trabalho, entretenimento, etc., desfrutando dos produtos e serviços oferecidos a todos sem discriminação, segregação ou preconceito. Parabéns a Editora 7 Letras por esse exemplo de que tudo é possível quando percebe-se as pessoas com alguma deficiência com igualdade na diversidade, e não como seres não humanos e que precisam viver ainda, em pleno Século XXI, como viviam na Idade Média e cercanias, ou seja, segregados, fechados e atendidos em instituições, asilos, hospitais especialmente criados para os diferentes, sob os cuidados de tutores e especialistas, com a finalidade de higienizar as cidades evitando que os "humanos normais" tivessem que se defrontar com sua própria vulnerabilidade, espelhada nas pessoas com deficiência.

Pensando em 7 letras, gostaria de deixar algumas palavras com 7 letras, como por exemplo: Atender, Aceitar, Acolher, Incluir, Renovar, Evoluir, Crescer, isto é, tudo que a editora 7 Letras promoveu no meu caso em questão e tenho certeza que agirá também com todas as pessoas que a procurarem, pois pretendo indicá-los a quem conheço e que também lute por inclusão e igualdade de direitos.

Comunico que estou re-encaminhando cópia dessa mensagem à Editora Contexto, empresa para a qual fiz solicitação e proposta semelhante, a compra de um livro intitulado Raça Pura: a história da eugenia no Brasil e no Mundo - em formato digital (pdf), por meio do mesmo procedimento, venda do livro em papel e fornecimento gratuito do arquivo digital, visto que este último não pode ser comercializado, mas somente doado às pessoas com deficiência visual, segundo o Artigo 46º. Da Lei 9610/98 dos Direitos Autorais. Entretanto, a posição da Editora Contexto foi totalmente contrária ao da Editora 7 Letras, tendo a Contexto me enviado a uma instituição "centralizadora" para cegos, especificamente a Fundação Dorina Nowill, voltada ao atendimento de pessoas carentes, para que lá eu pudesse pedir e receber "gratuitamente" o livro, o qual havia me proposto a comprar como qualquer outro consumidor junto a editora. Faço isso no intuito de demonstrar a Editora Contexto, uma prova cabal de que existem maneiras mais dignas e inclusivas de travar um relacionamento comercial com um público leitor diferente do tradicional, que não pode acessar a leitura convencional, isto é, o livro impresso a tinta em papel. E quando me refiro a um público diferente do tradicional, não estou apontando unicamente aquele com deficiência visual, como no meu caso em particular, que não pode usar-se dos olhos para ler o livro, mas muitas outras pessoas com diferentes deficiências que mesmo enxergando nã podem acessar o livro convencional, como por exemplo:

Uma pessoa com tetraplegia ou com os braços amputados, como faria para folhear as páginas de um livro? Uma criança ou mesmo adulto com dislexia, que tem dificuldades de associar a palavra escrita com o som da palavra, como compreenderia o que está lendo? Uma pessoa idosa com catarata ou a visão cansada ou com mal de Parkinson, que não consegue enxergar as letras miúdas ou, devido aos tremores, não consegue focar a leitura do texto? Uma pessoa com baixa visão, que precisa ampliar as letras ou trocar as cores de figura e fundo para poder enxergar melhor? Uma pessoa analfabeta, mas que adora ouvir histórias, contos, poesias contadas por alguém? Um executivo sem nenhuma deficiência, que está parado em algum congestionamento urbano e que precisa ler algo para sua palestra ou reunião mais adiante?

É óbvio que um livro construído com os princípios do desenho universal, flexível, que pudesse ser lido em papel a tinta, impresso em braile, , visto e ouvido em um computador com sintetizador de voz ou tocado em um aparelho de som convencional, ampliaria consideravelmente o mercado consumidor do livro. Não apenas pessoas com deficiência, mas também pessoas que precisassem de modelos mais versáteis e inteligentes para um mesmo produto, e sabemos que em um Mundo cada vez mais globalizado e rápido, versatilidade e dinamismo são características básicas de qualquer tipo de produto ou serviço oferecido.

Portanto, prezados Jorge e Rosana, pedindo desculpas pela longa mensagem, uma verdadeira ladainha que vivo a repetir aos 7 ventos e às 7 letras, mas que considero necessária nessa fase de transição que estamos vivendo, penso que caminhamos para uma sociedade mais inclusiva e preocupada com as questões de igualdade na diversidade. E tudo começa por atitudes cidadãs e inovadoras como a que vocês tomaram no meu caso. Isso demonstra o cuidado da Editora 7 Letras, entre outras, em caminhar para o futuro, construindo a cada passo um terreno sólido e fecundo para que outros possam segui-los.

Infelizmente, a atitude intransigente da Editora Contexto, prova apenas que ainda existem empresas que estão paradas, estagnadas no meio do caminho, não sabemos até quando. No entanto, precisamos salientar também que a atitude da editora Contexto entre outras, é retroalimentada devido a completa omissão da Fundação Dorina Nowill, o que reforça o senso comum de que caberia a ela a tutela, a representação e o cuidado para com as pessoas cegas de todo Brasil. Senso comum este descabido, repudiado e rechaçado por mim e pelo Movimento a favor do Livro e leitura acessíveis no Brasil.

Se por um lado não podemos afirmar que a Fundação deliberadamente estimule essa idéia equivocada de editoras, por outro lado, a própria Fundação jamais pronunciou-se publicamente contrária a esse comportamento vergonhoso e que fere a Lei de Direitos Autorais em seu artigo 46º.

Acreditamos que o comportamento correto da Fundação seria o de esclarecer os editores que ela é responsável e pode sim centralizar a distribuição gratuita de livros para e, somente para, os seus associados, freqüentadores, filiados e dependentes, que por meio do preenchimento de um cadastro, permitem que a Fundação os represente, controle e fale por eles.

Porém, a generalização dessa imagem, de que toda pessoa com deficiência visual brasileira é atendida por essa Fundação, como se todo cego brasileiro permitisse que a Fundação Dorina Nowill centralizasse seu direito e desejo de leitura, como se não existissem pessoas com deficiência visual autônomas, independentes, com potencial próprio para o consumo de livros, desculpem, mas é uma crença surreal, fictícia, enganosa, equivocada, aviltante e precisa ter um fim o mais rápido possível. Todavia, para isso, é necessário também que a própria Fundação se posicione e se pronuncie perante as editoras, e ai nos perguntamos... será que ela vai fazer isso um dia?

Cordialmente,

Naziberto Lopes Oliveira.

Lista de editoras e autores inclusivos - Os sucessos.

 

Voltar ao topo da página.

Copyright © 2008 Livro Acessível.
Todos os direitos reservados.